Especial de verão - Paco Rabanne

Olá galera, depois de alguns dias sem aparecer por aqui, aqui estou eu novamente \õ/. 

Bom, e pra começar vamos falar dos acessórios da coleção do Paco Rabanne, que eu particularmente AMEEEI, meus olhos brilhaaaaram quando eu as vi *--* (por foto:/) Começando...

as famosas bolsas le69pacorabanne, lançadas no ano de1969 . A Comme des Garçonsfez uma parceria com a Paco Rabanne pra reviver a onda daquela que figura entre uma das “50 bolsas que mudaram o mundo”, segundo o Design Museum de Londres. É a nova fase da marca fundada pelo espanhol, que andava meio na sombra depois de fazer a cabeça dos jovens no fim dos anos 60.
Judy guia a percepção do fashionista pro aspecto mais forte do trabalho do criador da le69 e usa materiais improváveis em suas reinterpretações. As bolsas ganham o peso de chaveslâminasmoedascadeadosalgemas e flores em metal, penduradas por correntes de todos os tipos, sem interferir na base do modelo original. E a mesma técnica é aplicada em braceletes, pendentes e colares que reforçam mais um capítulo da novela retrô-futurista que está em voga na moda!

 A le69pacorabanne ganhou coleção de outono-inverno 2011/12


O inglês pendurou tudo nas bolsas que ficaram famosas no ano que lhes dá nome

A iniciativa é apenas uma das muitas novidades da Paco Rabanne pra este ano

Entraram na onda versões de peles tricotadas - técnica largamente usada pelo estilista espanhol em seu auge

                              O pendente da coleção

Pendura no braço!

le69pacorabanne versão 2011/12

Que tal agora falarmos um pouco sobre a nova coleção primavera/verão 2011/2012? 

A estrutura moderna do Centre Pompidou foi o cenário da reestreia da Paco Rabanne, agora sob a batuta de Manish Arora. Depois do relançamento dos acessórios, com a icônica bolsa le69 revistada por Judy Blame, é hora de conhecer a versão século 21 da etiqueta que nos transporta automaticamente pros anos 60, quando Paco estourou com seus tubinhos metalizados.
Não deixa de ser previsível, portanto, o fato do estilista indiano retrabalhar as placas de metal ligadas por argolas em sua coleção batizada de “Femme Lumière“. E seria decepcionante pro fashionista não encontrar a assinatura do fundador nesta primavera-verão 2012. Mas Manish, aos poucos, vai mostrando seu trabalho na escolha de matérias-primas cintilantes e, principalmente, na aplicação de volumes que lembram anêmonas – mais uma referência direto do fundo do mar. Os looks não são fáceis e nem todos são usáveis, a não ser que você seja Lady Gaga. E Gaga, por sua vez, anda envolvida com o retorno de outra casa, a Thierry Mugler, citada por Suzy Menkes, afirmando que a Paco Rabanne de Manish está mais próxima de Mugler anos 80 do que dos anos 2000.


Bom, espero que tenham gostado, e amanhã tem mais *-*





Por Hellen Brito & Nathany Ramos .. Tecnologia do Blogger.